26 de jul de 2017

Island

Você já teve a sensação de que o mundo inteiro lá fora poderia explodir e tudo ficaria bem mesmo assim? O sentimento de que o que é importante está bem ao alcance das suas mãos então o resto não importa? Você já se sentiu como se pudesse passar uma eternidade fazendo a mesma coisa e nunca cansar daquilo, porque é tudo tão natural que afinal, o que poderia ser melhor?
Eu sinto que o que é bom fica melhor a cada vez e me impressiona o fato de que o alvo dos meus desejos e devaneios não seja nenhuma novidade na minha vida. 
Eu sempre estive aqui, andando por aí, talvez com menos alegria no olhar. Você sempre esteve por aí, talvez nunca tenha reparado em mim e hoje eu sei que talvez nada fosse igual ao que é agora se tivesse acontecido antes. Ainda me surpreende se eu tento entender o que é isso, por isso já não tento explicar. Eu estou vivendo como se o amanhã nunca fosse chegar, como se o passado não tivesse existido mesmo que ele tenha existido e me machucado por um tempo. Qual a relevância afinal?
É tudo tão novo agora, somos pessoas tão diferentes do que eramos quando nos vimos pela primeira vez. Eu só não queria de forma alguma estragar esse sentimento de leveza que nos acompanha o tempo todo que passamos juntos. Não quero que acabe a sensação de alegria que eu sinto quando estou nos seus braços. Não quero pensar em inícios e finais, em explicações banais, quero apenas viver os segundos e aproveitar cada pedacinho de você como se eu não tivesse outra escolha. Acho que tenho feito isso muito bem. Bem até demais porque as vezes até me foge da mente que tudo isso tem prazo de validade. Já me chamaram de louca e me aconselharam a me afastar, mas por que eu faria isso? Prazos existem mas o futuro é tão incerto quanto as surpresas. E eu só tenho surpresas agradáveis com você. Então eu me esqueço e me deixo levar, como nunca fiz antes. Não quero pensar em nada, eu só quero continuar sentindo essa sensação única misturada com esse momento da nossa vida, onde tudo é tão diferente. Não existe pressa nem excessos. Só existe um fluxo natural de gestos que são tão genuínos que não poderiam ser diferentes. Acho que a grande diferença entre você e os meus antigos amores é que em você eu não vejo nada além de você. Eu não tenho expectativas, não tenho planos para nós que ultrapassem as barreiras da próxima semana. Deixo o tempo passar. Eu não faço idealizações dos meus sonhos, não faço promessas, apenas te gosto como é tão natural eu gostar. Não tem repressão de sentimentos baseados na racionalização dos fatos inevitáveis. Mas por que eu faria isso? Eu insisto em dizer que neste momento da minha vida eu só quero sentir e continuarei sentindo sem pensar muito no depois. Que se exploda o depois junto com o mundo lá fora, nada disso importa agora. Apenas você.