21 de jul de 2017

Abstrato

Eu adoro a sensação de ter tantos sentimentos misturados que fico sem palavras pra descrever. Acho que a maioria dos meus textos são cheios dessa fonte inesgotável de inspiração que é a eterna confusão da minha mente. Eu vivo amando e desamando, sorrindo e chorando, me perdendo pelos cantos. A ironia dos meus últimos dias tem sido tanta que chega a ser engraçado. Daria uma bela comédia dramática. Antes eu choraria, hoje apenas observo e me sinto grata pelas oportunidades de viver experiências tão intensas. Tudo isso vai virar pó um dia, assim como as minhas cartas e garrafas vazias. Assim como nós. Eu e você. Nós. Nós difíceis de desatar. Se eu tivesse o mínimo de controle destes acontecimentos inesperados talvez não seria tão bom. O caos me agrada, a imprevisibilidade da vida também. Os melhores momentos acontecem quando eu estou recuperando o fôlego. Tão rápido que quando percebo já se foi. Eu aprecio a particularidade das diferenças dos meus afetos. Mas depois de um tempo quando leio sobre eles me parecem iguais. Insisto em dizer que são diferentes e o tempo tem me tornado um pouco cética em relação a isso. E mesmo com tantas adversidades, me permito dizer que desta vez eu realmente encontrei algo fora do comum. E é tão bom que eu consiga ainda sentir coisas que eu achei que nunca mais fosse sentir. Pensei que tivesse matado todas as emoções em mim. Excesso de tragédias fez de mim uma pessimista. Mas que tipo de escritora eu seria se perdesse de fato a capacidade de sentir como se ainda fosse tão pequena e ingênua. Mas é exatamente aí que mora a graça em crescer. Fico apenas com a parte boa disso tudo. Sem lágrimas de tristeza pelas partidas, sem ansiedade, sem medo de nada. Sobra apenas a vontade de ver, sentir, tocar. Sobra apenas o que é. Momentos. O tempo as vezes confunde e parece estar um pouco atrasado. Mas nada acontece por acaso. E são de acasos que nasce o mais puro sentimento de simplesmente pertencer sem pretensões.
Eu vou guardar o melhor do que vivi, o melhor do que vivo junto com a certeza de que mais momentos assim estão por vir. Tamanha vontade de expressar tudo isso de alguma forma me faz perder o sentido e a razão.
Acho que esse texto é só pra mim e eu quero mostrar ele para você. Ninguém precisa entender as motivações. Minhas palavras hoje são como pintura abstrata. Hoje eu não quero racionalizar nada. Apenas sentir.