16 de mai de 2017

Eu queria te apagar

Eu passei por todos os estágios de emoções possíveis desde o dia 17 de Fevereiro.
Eu me senti ansiosa para ver um rosto novo que pudesse me trazer um pouco de paz. Apenas querendo esquecer alguém que me machucou antes, fui para um encontro com o desconhecido porque não tinha nada a perder. 
Eu senti alegria por encontrar coisas em comum e uma vibe leve naquele dia. Não tinha sido tão ruim. Mas eu ainda era tão sensível, tão vulnerável a dar o melhor que existia em mim para qualquer pessoa que se mostrasse minimamente receptiva. Eu me permiti sentir tudo da forma mais intensa, porque se não for pra sentir tudo eu prefiro não sentir nada, mas é complicado. Complicado explicar como as emoções fluem através da minha pele e da minha boca em formas de palavras que eu não quis dizer. Como elas saem de mim e quando vejo já é tarde demais para retirar o que eu disse, o que eu fiz... Mas pensando bem, pegar tudo de volta não faria com que o sentimento fosse menos real. Ele continuaria existindo dentro de mim, mas reprimido. Talvez a solução mais fácil para essa louca soma de encontros e desencontros seja apenas ir embora e não sentir. Mas como não sentir?
Hoje eu acordei sentindo raiva, um sentimento que eu tenho evitado me permitir. Eu tentei transformar meu belos sentimentos massacrados pela sua arrogância e falta de sensibilidade em algo tolerável. Pensei que dessa forma eu deixaria tudo isso ser drenado de mim até que um dia eu não fosse capaz de sentir mais nada.
Mas por que eu ainda me incomodo tanto? Porque eu odeio saber que minha intuição está certa sobre você ? Por que eu não consigo simplesmente tirar isso de mim?
Eu não quero sentir nada, nem saudade, nem esse pseudo amor, nem raiva, NADA ! Eu só quero te apagar. E apagar todos os dias que eu me dei ao trabalho de te ver. Apagar todas as vezes que eu perdi meu tempo respondendo as suas mensagens vazias. Apagar todos os sorrisos que você me deu, todas as coisas que eu ousei sentir, apagar tudo isso porque você não merece nada que venha de mim.
Não consigo sentir outra coisa nesse momento que não seja ódio. Mas por que perco meu tempo escrevendo, perco meu tempo odiando, perco meu tempo sabendo exatamente o que se passa na sua mente doentia. É isso que você é !  Doente. O jeito que você age com as pessoas não é normal, eu não sei como um dia eu achei isso bonitinho. Você é simplesmente um idiota que não sabe se comunicar e quando se comunica só abre a boca para falar coisas ruins e fazer reclamações. 
Você é a personificação de tudo que eu mais odeio no mundo e ainda assim, tão vulnerável fui que me deixei olhar apenas as suas qualidades. 
Hoje sei que seus defeitos são inaceitáveis demais para mim, eu odeio como você acha que está certo e não consegue perceber os próprios erros. O jeito que você finge esquecer o que disse para justificar suas mancadas. Eu odeio o jeito que você não serve nem para ser honesto e simplesmente dizer a real invés de ficar se escondendo atrás de compromissos que até ontem você não tinha. 
Eu odeio você e sua falta de habilidade para sentir qualquer coisa que não seja sua apatia. O mundo seria um lugar melhor sem você. 
Talvez eu me odeie mais do que te odeio porque no final, a escolha foi toda minha. Que toda essa droga sirva de lição e que a cada dia que passe eu lembre menos do quanto eu fui idiota em acreditar em alguém tão vazio. 

Me sinto mais leve.