8 de set de 2015

Polônia : 5 coisas que eu sinto falta

Minha querida Polska, quantos momentos bons passamos juntas!  Você foi o lugar mais longe de casa que eu consegui chegar, o mais diferente e sem dúvidas o mais encantador. Já faz dois meses, mas parece que foi ontem. Não me esqueço do embarque, um voo que demorou tanto para chegar mas que quando chegou, trouxe consigo sonhos e alegrias indescritíveis. Ainda me lembro do que senti quando olhei para o céu polonês pela primeira vez, dos sabores, dos sons, das cores e das emoções que durarão por toda uma vida. E entre tantas coisas maravilhosas, hoje eu queria compartilhar um pouco das que mais sinto falta.

1- O dia que nunca acaba
Na Polônia o dia começa cedo e termina tarde. Foi realmente um grande choque ver o céu claro as 4:00 da manhã e depois ver o relógio apontar 11:00 da noite e o céu ainda estar clarinho.  No começo eu achava ruim, não conseguia dormir direito e acordava todo dia achando que estava atrasada,  mas depois que me acostumei, comecei a achar legal ter um dia longo. Um céu claro dá a impressão de que ainda temos muito tempo para fazer tudo que quisermos e consequentemente, vivemos mais e sem preguiça. 

                                4:00 da manhã em Lodz


2- Zapiekanka
Apenas a comida mais legal e prática que existe. Olha, não é fácil ser vegetariana num país que tem salsicha até na lojinha de conveniência do posto de gasolina. Encontrar a zapiekanka foi uma surpresa muito agradável, se alguém souber de algum restaurante polonês em SP me avisa ! 

                     Minha última zapiekanka em Cracóvia

3- Cervejas
As cervejas polonesas são muito gostosas, tentei experimentar o máximo de rótulos que consegui enquanto estava lá e nenhuma deixou a desejar. A minha favorita é Kasztelan, que eu ainda não tive a sorte de conseguir achar por aqui. 

                          Primeira cerveja em Varsóvia

4- Amigos
Fazia muito tempo que eu não sabia mais como era fazer coisas em grupo. Durante todo o tempo, tudo que eu fazia era junto com o grupo da faculdade, nos encontramos no aeroporto e voamos no mesmo voo inclusive. Todos os dias foram assim, café da manhã, ir pra aula andando, almoço, pós almoços preguiçosos na grama da faculdade, passeios pela cidade, viagens, compras, TUDO !  Eu não lembrava mais como era legal ter tanta gente querida por perto, pra dividir todas as coisas , os anseios, as alegrias e até mesmo as tristezas. O pior de tudo é que todas essas pessoas estão na mesma cidade que eu, mas nunca vai ser como antes. Em SP não temos tempo, as distâncias ficam maiores e o espaço para encaixar momentos como os que tivemos na Polônia são raríssimos. 
Espero que se eles lerem isso, saibam o quanto são queridos por mim e que sempre desejarei o melhor para cada um, mesmo que eu não possa estar presente, sempre terei comigo as nossas memórias, sempre terei o sentimento de gratidão por ter tido companheiros de viagem tão legais. 

                             Grupão reunido na Áustria


5- Zloty e o valor das coisas
A moeda da Polônia vale um pouco menos que o nosso real, além disso, o valor que se paga pelas coisas é extremamente justo. Saudades eterna de ir no mercado e com apenas 15 zlotys comprar várias coisas. Aqui em SP com 15 reais não dá pra comprar nem o café da manhã pra semana. De todos os países europeus que visitei, a Polônia foi onde menos gastei, mesmo nos restaurantes mais caros, o preço de uma refeição bem servida não ultrapassava 40 zlotys. Sempre usavamos táxis e dividiamos o valor, o que dava em média uns 3 zlotys pra cada pessoa, mais barato que ir de ônibus. Quando fui do hotel para a estação de trem (sim, aquela na qual eu passei um perrengue dos grandes e deixo essa história  pra outro post) que era uns 20 minutos de distância, gastei 30 zlotys. Muito barato, muito bom, zloty é vida <3 



Espero que tenham gostado deste post e se alguém tiver alguma dúvida sobre a viagem pode me chamar a qualquer hora que responderei com o maior prazer :)