19 de fev de 2015

Faz tempo



Faz tempo que não volto para casa, que não faço minhas refeições sem companhia. Faz alguns dias, semanas, alguns meses que eu não durmo sozinha. Não sei, mas parece que não me lembro mais de como era a vida antes disso. Solitária talvez?
É estranho o quanto a vida muda de repente e tira dos seus pés todo o chão que você sempre conheceu, para te levar pro céu, bem no alto, no topo das nuvens, onde não há chuva.
Faz tempo que não tenho os mesmos desejos de antes, os anseios e loucuras de antes. Estão tão distantes os velhos hábitos que nem reconheço-me mais. Mas gosto mais de ser assim, esta nova pessoa que existe em mim. O externo transformou de alguma forma algo que lá dentro era imutável, fez-se realidade o que era apenas poesia, trazendo a alegria que contagia a minha vida.
Queria poder explicar com palavras curtas, escrever em versos simplórios a grande obra de arte abstrata que são os meus sentimentos. Como brinquedo de parque de diversão, ora está no alto, ora está em baixo, e a transição é sempre drástica, dramática, conturbada.
Faz tempo que não mais preciso enfrentar os meus demônios na solidão, os pesadelos se foram junto com as mágoas, deixando o perdão predominar os vastos espaços do meu coração.
Faz tempo que não sou mais egoísta, deixei isto para trás, hoje importa-me muito mais se meu amor está em paz.
Faz tempo, pelo menos assim me parece, que me sinto mais forte, sinto vontade de ser melhor, cada vez maior, como nunca fui. E quando penso em parar, logo retorno, pois os sonhos de hoje são o futuro presente que desejo viver, nada importa, nada me impedirá de fazer com que o caminho seja percorrido até o fim.
Faz tempo, talvez não tanto tempo assim, mas ainda assim me parece, que não abro a porta para encontrar uma casa vazia. Está sempre cheia de amor para me receber e cuidar de mim, do jeito que eu nunca consegui cuidar de mim mesma.
Queria poder explicar o calor do abraço em palavras, o cheiro da pele em versos, a sintonia que nos move em páginas coloridas. Queria poder dizer para o mundo que aquilo que achavamos que estava perdido, foi encontrado, e é tão real quanto a dor que a estrada para a busca deste tesouro nos inflige.
Queria dizer que não desistir vale a pena, e ter alguém que não desiste de você faz tudo ser intensamente magnífico. Os dias passam a ter mais sentido, a vida fica menos sem graça, as dores ficam mais suportáveis e a luz no fim do túnel parece de fato existir e estar próxima, e por isso você não desiste.
Faz tempo que não choro sem ter o conforto do abraço dos meus braços favoritos, faz tempo que não sinto dor sem ter aquelas lindas mãos para me ajudar a levantar. Faz tempo que não me sinto sozinha, porque afinal, não estou sozinha.
E aquele tempo, que faz tempo que ficou pra trás, fique onde está, pois não sinto falta de nenhum dia que se passou.