13 de fev de 2015

A loucura do poeta



Quem me dera poder apagar, resetar tudo que não tem mais serventia.
Os sentimentos baixos, as mentiras contadas, as atitudes tomadas e os momentos de pouca alegria.
"Era uma vez", assim começa o conto com final feliz.
"Viveram felizes para sempre", assim termina o conto que nada diz.
É como um círculo de fogo, pouco amor e muito ódio, pouca calma e muita luz.
Luz demais, luz que cega, chama em demasia, cegando a agonia que transcende a fantasia.
Talvez seja complicado para colocar em palavras, a tradução de sentimentos é árdua, mas senti-los é pior. Contar ajuda, fingir também. Mas , no final, é impossível distinguir se a mentira virou verdade ou se a verdade era uma mentira. As expectativas se misturam com os sonhos, aqueles que não te deixam em paz nem por um segundo. O desejo de vingança, o ódio, a fome de matar, fazer com que eles sintam a sua dor, fazer com que percebam que você está ali também, gritando desesperadamente sem ser ouvido. Enviem um sinal, enviem paz, enviem mais. Muito é pouco !
Assim os dias se passam, os desejos se enterram debaixo das asas da razão. Cheguei a tal conclusão, mas que loucura e ousadia a minha, que a razão para nada serve além de esconder a sua magia.
- Esconda-se atrás do rosto feliz !
Disse a razão.
- Fique quieto e imóvel diante da avalanche de emoções que invadem tua alma. É a própria razão a causa da tua destruição.
Assim foi dito.
E quando percebido o erro foi, pela alma que tanto apego tinha pela companhia dos pensamentos livres, colocou-se em lágrimas e à disposição de seus sentimentos devastadores. E enfim se fez um final verdadeiro, não mais a farsa das histórias com final feliz.

E se pensam que este é o final, fiquem sabendo que é apenas o começo. Esta não é a minha história apenas, é de todos nós. Quando conseguimos colocar para fora, da forma que for, tudo aquilo que nos aflige no âmago de nossa alma, é aí que começa a grande página em branco da vida, pronta para ser escrita, seja com sangue ou tabaco, você escolhe a tinta. Você escolhe os meios, mas não tente se livrar dos anseios, pois este é o melhor meio de guiar-se para a loucura do vazio que existe em nós, o buraco negro que todos possuem dentro de si e recusam-se a aceitar. Lute contra ele ou junte-se a ele.
Deixe-se dominar ou domine-se enfim.
Fique louco ou fique são, mas não deixe que tua vida seja em vão.
Viva por uma causa ou morra por ela, assim disse a razão.
Apenas esqueceu-se de que existe muito mais além do que falamos, muito mais do que queremos mostrar. Esqueceu-se que a hipocrisia humana mata tudo aquilo que tem potencial.
Saiam do circulo de fogo, eu vos digo agora, é a única maneira de escapar do conto sem fim e viver afinal. Talvez eu encontre vocês do outro lado.