27 de ago de 2014

Fugir



Eu vou sair, fugir daqui, sumir no mundo e nāo fingir. Fingir que me importo, me incomodo com os olhares tortos, fingir que nāo me sufoco. A porta abrirei e por ela passarei sem olhar para trás, sem fechar , sem trancar, apenas a empurrarei para longe de mim, assim como quem nada quer. Irei embora para nāo mais voltar, para me encontrar, me achar em algum local perdido e esquecido pelo resto do mundo ordinário. Minha vida será uma eterna busca, aquela que nāo tem fim, aquela que nāo te mostra o que procuras nos primeiros passos, mas sim, nos últimos minutos, aqueles minutos de auto crítica e sangue. Aqueles minutos de vergonha de ser quem você é, aqueles minutos que você deseja ser tudo, deseja ser o mundo, qualquer coisa, menos você.